Penapolense recebe dois jogadores do Consadole Sapporo

Na reapresentação desta quarta-feira, o Penapolense mostrou novidades ao torcedor e aos próprios jogadores, dois jogadores japoneses vestiram a camisa do Pantera da Noroeste. Trata-se do meia-atacante Takuma Arano e do atacante Junki Yokono, que ficarão 1 mês em “testes” com a comissão técnica e poderão ser aproveitados no Paulistão 2013.

Durante o período que estarão no CT com os demais atletas será necessário um interprete para repassar as informações aos jogadores. Na apresentação, eles já arriscaram algumas palavras em português.  E se mostraram surpresos com o que encontraram no CT. “Bem mais do que esperávamos”, afirmou Takuma.

Para o diretor de futebol, Mauro Moreira, esse intercâmbio de jogadores é importante para as duas equipes. “A princípio nossa intenção é de estreitar os laços de amizade com o time japonês e estabelecer até mesmo uma parceria”, comentou o diretor.

Apesar de estarem apenas em fase de teste, não está descartada a possibilidade dos jogadores japoneses serem contratados para a disputa da elite estadual, mas que isso só irá ocorrer caso eles consigam se encaixar no perfil dos demais jogadores do elenco. 

Penapolense está perto de contratar atacante Magrão

O Penapolense deve acertar com mais um atacante até o dia 31 de dezembro, Magrão está próximo do retorno ao time de Penápolis, já que defendeu o time em 2010, durante a Série A3 do Paulistão.

O atacante de 28 anos tem seu contrato com o Grêmio Barueri – equipe pela qual disputou a Série B do Brasileirão deste ano – encerrado no final deste ano.

O elenco se reapresentou hoje para continuar a preparação para a disputa da Série A1 do Campeonato Paulista. No próximo domingo, dia 30, o time disputa um amistoso contra o Arapongas-PR em Avanhandava.

A estreia no Paulistão será dia 19 de janeiro contra o Ituano, no estádio Tenente Carriço, em Penápolis.

Penapolense é derrotado pelo Londrina no 1º amistoso de preparação

No primeiro jogo de preparação para o Paulistão 2013, o Clube Atlético Penapolense foi derrotado pelo Londrina por 2 a 1. O jogo foi realizado em Braúna, na noite desta quinta-feira.

Buscando o time ideal, o técnico Edison Só realizou muitas alterações na equipe para dar ritmo de jogo e conhecer melhor alguns jogadores que chegaram para a disputa do estadual.

Com o time considerado titular no primeiro tempo, o time de Penápolis criou boas chances mas não conseguiu converter em gols – problema esse que atormenta a equipe desde a Copa Paulista deste ano.

Depois de perder diversas chances, o time ainda sofreu o gol do Londrina, depois de um contra-ataque Weverton fez 1×0 para a equipe paranaense.

No segundo tempo, Edison Só fez 8 mudanças no Penapolense e o Londrina aproveitou a falta de entrosamento para fazer 2 a 0, com Celsinho que completou para o gol depois da falha da zaga penapolense.

Com vantagem no placar, o time paranaense apostava nos contra-ataques para vencer a partida, enquanto o time de Penápolis tentava o empate. O gol do Penapolense veio aos 28 minutos com Luciano Gigante. Mas ao final dos 90 minutos, o placar apontava 2 a 1 para o Londrina.

O segundo jogo dessa série de amistosos do Penapolense será dia 30 de dezembro, em Avanhandava, contra o Arapongas.

Confira as equipes:

Penapolense: Marcelo, Luís Felipe (Alex), Perez (Jailton), Gualberto (Biro) e Rodrigo Biro; Liel (Denis), Fernando (Beto), Guaru (Didi), Neto (Daniel) e Silvinho (Luciano Gigante); Viola (Fio). Tec. Edison Só.

Londrina: Danilo, Regis, Rogério, Elson e Wendell; Sílvio, Germano (Sérgio Paulista) e Celsinho (Jean Carlos); Bruno, Neilson e Weverton. Tec. Sérgio Luiz Malucelli.

CBF confirma e Paulistão dará duas vagas na Série D 2013

A Confederação Brasileira de Futebol confirmou nesta quarta-feira a participação de 40 equipes na Série D do Campeonato Brasileiro de 2013. Um oficio foi divulgado no site da entidade.

Chegou a ser anunciado que o torneio contaria com apenas 32 equipes, mas a redução infringiria o Estatuto do Torcedor, que possui um prazo para divulgação das equipes que iniciam a competição.

Como o regulamento da Série D de 2013 será o mesmo de 2012, a CBF confirmou duas vagas para os clubes paulistas, que deverão ficar com os melhores clubes do Paulistão – que não disputam nenhuma outra divisão nacional – este ano, a vaga ficou com Mogi Mirim e Mirassol. O Mogi garantiu o acesso a Série C.

Em 2013, 10 equipes vão disputar as duas vagas. Confira as equipes que buscam a vaga na última divisão nacional: Atlético Sorocaba, Botafogo, Ituano, Linense, Mirassol, Paulista, Penapolense, São Bernardo, União Barbarense e XV de Piracicaba.

Para 2014, a Confederação Brasileira de Futebol já confirmou que o número será reduzido para 32 equipes, com apenas uma vaga para os paulistas.

“Tá Liberado”: Federação Paulista libera o Tenentão para o Paulistão 2013

Nesta terça feira, a Federação Paulista de Futebol  confirmou a liberação do Estádio Municipal Tenente Carriço – o Tenentão – para ser a “casa” do Clube Atlético Penapolense no Paulistão 2013.

A confirmação foi feita pelo presidente da instituição, Marco Polo Del Nero, e pelo responsável pela arbitragem e vistoria dos estádios, Coronel Marinho.

Na vistoria ocorrida na última segunda feira, o laudo totalizava 14 mil lugares, faltando ainda 1 mil lugares para a liberação do estádio. Para conseguir a liberação do estádio que recebe o primeiro jogo no dia 19 de janeiro, contra o Ituano, a diretoria do Penapolense deu garantia de que parte das arquibancadas de alvenaria que estão sendo construídas ficariam prontas até o primeiro jogo, totalizando os 15 mil lugares necessários para receber jogos da elite paulista.

Outras garantias para a liberação do Tenentão foram: os dois novos vestiários prontos até o começo do Paulistão, a troca dos alambrados e a pintura.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do Clube Atlético Penapolense)

[Crônica] 2012: O ano da “Montanha Russa”

Quem diria que no final de 2012 este jornalista estaria com essa “mistura” de sentimentos. Em janeiro eu jamais imaginaria que tudo que isso pudesse acontecer no “mundo do futebol”.

Em maio, veio a primeira sensação boa, talvez a melhor já vivenciada como torcedor em um estádio. O “meu” Penapolense foi até Campinas, enfrentar o Red Bull Brasil (eterna pedra no sapato do clube) buscando uma vaga na Série A-1 do Paulistão. Sem pensar duas vezes, este que vos escreve, pegou um ônibus e depois um táxi, para encontrar mais de 300 pessoas no Moisés Lucarelli, palco do possível acesso.

E o jogo foi pra lá de equilibrado, mas nenhuma palavra é capaz de descrever o que passou pela minha cabeça após o apito final. Sim, eu sou jornalista, mas estava lá como torcedor, aquele mesmo torcedor, que foi ao Tenentão vazio nos domingos do ano 2000, para ver um time que tinha Damásio, André Cunha, André Liranço, Julinho, entre outros. O mesmo torcedor que viu Luizão perder a bola no final do jogo contra o Jabaquara e a vaga na extinta B1 ficar por um triz.

Esse mesmo torcedor estava lá, em Campinas, com mais 300 apaixonados pelo CAP, vendo um momento histórico, porque pela primeira vez na história, a cidade de Penápolis iria receber os times “grandes” de São Paulo. E também pela primeira vez na história, este torcedor/jornalista poderia ver seus dois times (sim, eu tenho dois times, um que ‘nasceu’ comigo, e outro que aprendi a amar na época de Edmundo, Evair e cia, e que se consolidou com Alex, Oséias e Paulo Nunes) se enfrentarem em uma partida oficial. A festa em Campinas foi algo que não dá pra descrever, até porque, sou suspeito para falar, as fotos da chegada da equipe em Penápolis deixou um gostinho de “poderia estar lá”.

Em julho, mais precisamente no dia 11, outra vez o sentimento de alegria tomou conta de mim. Depois de alguns anos, o Palmeiras voltava a ser campeão de um torneio importante – Série B e Paulistão não podem orgulhar um torcedor de um time como o Palmeiras, que me desculpem os que pensam diferente. Depois de um gol do “craque” Betinho e um empate em 1×1 no Couto Pereira, o time de Marcos Assunção e Felipão levantava a taça da Copa do Brasil e garantia uma vaga na Libertadores de 2013. A felicidade foi grande, afinal, o último título que eu realmente havia comemorado com orgulho havia sido a Libertadores de 99, ainda na época de colégio, apostando cachorro quente com os corinthianos, que um ano depois, viram Marcelinho perder aquele pênalti que consagrou o “São Marcos”.

Depois disso, porém, as coisas não caminharam nada bem, primeiro, o Penapolense, dono da melhor campanha da Copa Paulista perdeu em casa a vaga nas semifinais para o “humilde” Velo Clube,  que veio até o Tenentão e não deu chances ao CAP.

Mas o maior “tombo” ainda estava por vim. O Palmeiras estava mal das pernas no Brasileiro, não conseguia vencer, fazia péssimos jogos e estava cada vez mais “afundado” na Zona de Rebaixamento. A cada vitória a esperança “verde” voltava a brotar. Mas a cada rodada que passava,  o rebaixamento parecia inevitável. E a diretoria num surto de “precisamos mudar” para evitar o rebaixamento mandou embora Felipão e contrataram Gilson Kleina. O time ganhou  fôlego com a chegada do novo comandante, mas esse fôlego não durou mais que 3 rodadas, e disso para frente, todo palmeirense já conhece a história.

E as expectativas para 2013 misturam um otimismo exagerado, talvez, de uma boa participação do Penapolense na elite estadual, com um certo pessimismo da campanha palmeirense na Copa Libertadores da América. Não possuo nenhuma bola de cristal e nem sou bom em adivinhações, resta a esse jornalista esperar o próximo ano e ver se suas previsões – que guardo para mim – estavam certas ou erradas.

Palmeiras e Penapolense retratam bem e são o melhor exemplo que eu poderia usar pra “ilustrar” meu 2012.

E fazendo um balanço – mesmo não gostando disso – o ano de 2012 foi sensacional, não falo apenas no sentido “torcedor”, falo também no sentido “humano” e “profissional”. Novas oportunidades apareceram, pessoas que entraram na minha vida, novos amigos de “longe” mas que estão perto, velhos amigos de longe que se fizeram cada vez mais presentes também.

A realização de cursar a tão “sonhada” pós de Jornalismo Esportivo, que demorou 2 anos para se concretizar, acho que o balanço deste ano foi pra lá de positivo, apesar dos pesares – que quem me conhece sabe que não foram poucos.

E que o próximo ano seja ainda melhor, não apenas para o Penapolense ou para o Palmeiras, mas para todos que fizeram parte deste ano e que espero, façam parte do meu 2013. A essas pessoas tenho apenas que dizer: “MUITO OBRIGADO”,  por fazer deste jornalista esportivo um cara mais feliz.

Penapolense anuncia dois amistosos e mais um reforço

O Clube Atlético Penapolense continua sua preparação para a estreia na elite estadual, além da busca por reforços, o time começou a agendar alguns amistosos para dar ritmo de jogo e entrosamento aos jogadores.

O novo reforço que chegou ao clube de Penápolis, é o volante Anderson Carvalho, que pertence ao Santos, mas estava no Vissel Kobe, do Japão. O jogador de 22 anos fica por empréstimo até o final do Paulistão.

Dois amistosos foram confirmados pela diretoria do clube. O primeiro será no dia 20 de dezembro, às 20 horas, no Estádio Municipal de Braúna, contra o Londrina, que se prepara para a disputa do Paranaense e conta com jogadores como Celsinho (ex-Portuguesa). A entrada será 1kg de alimento não perecível.

O segundo amistoso também será contra uma equipe paranaense, desta vez, o adversário será o Arapongas, no dia 30 de dezembro, também às 16 horas, no Estádio Municipal de Avanhandava. A entrada terá o valor de R$ 10,00.

Segundo a diretoria, os amistosos nas cidades vizinham buscam ganhar ainda mais a simpatia dos torcedores das cidades próximas a Penápolis junto ao Pantera da Noroeste.

(Informações da Assessoria de Imprensa)