CBF muda o sistema de vagas na Série D

botafogo sp_Fotor.jpg

Botafogo/SP é o atual campeão da Série D (Foto: Rogério Morotti/Agência Botafogo)

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), confirmou através de seu departamento de competições, que enviou um ofício para todas as federações estaduais sobre mudanças nas vagas na Série D em 2017.

De acordo com o documento, os clubes que irão disputar a edição em 2016 também estarão garantidos na disputa do ano seguinte. De 2017 em diante, os classificados serão decididos pelos estaduais ou por seletivas, decisão feita por cada federação estadual.

Em entrevista ao Globoesporte.com, o gerente de competições, Gustavo Pessoa, disse que a medida foi tomada para melhorar a organização e a logística da competição. Isso por que os participantes serão conhecidos no ano anterior, facilitando o planejamento.

“Ficamos sempre na espera para saber qual clube que vai participar e às vezes não conseguimos fazer isso rápido. Se a gente tiver uma definição no ano anterior, tem um semestre inteiro para organizar a melhor forma do campeonato”, disse o dirigente ao Globoesporte.com.

As federações estaduais estão liberadas para realizar torneios seletivos no segundo semestre para definir seus representantes. Para a disputa do torneio em 2017, os clubes devem ser indicados até dia 31 de outubro de 2016.

Lembrando ainda que os clubes rebaixados na Série C não tem esse privilégio e não terão garantia no ano seguinte, abrindo vagas para algumas federações.

Confira o ofício que foi enviado para as federações na íntegra:

“Informamos que os clubes que obtiverem classificação para disputar a Série D de 2016 também serão os representantes das suas respectivas federações na edição de 2017, podendo, no entanto, ser realizado um torneio seletivo, no segundo semestre de 2016, pelas federações de tenham direito a uma vaga, para definição do seu clube classificado para 2017. As federações que tenham direito a duas vagas poderão utilizar o Torneio Seletivo para indicar seu segundo representante na edição de 2017.

Na hipótese da concessão de vaga via Torneio Seletivo, esse torneio necessariamente deverá ser disputado por um número mínimo de quatro clubes e todos os participantes devem pertencer à 1ª Divisão de Profissionais no ano anterior ao campeonato que se destina a vaga.

O prazo final para definição dos representantes de cada federação para a edição de 2017 é 31/10/16.

A partir de 2017 os clubes classificados pelos seus estaduais ou seletivos em um determinado ano disputarão o Campeonato da Série D do ano seguinte.”

Anúncios

Clubes do Nordeste e Sudeste foram maioria na Série D de 2015

A Série D do Campeonato Brasileiro terminou no último sábado com o título do Botafogo de Ribeirão Preto/SP diante do River/PI. A final da competição foi apenas um espelho da divisão de clubes deste ano, na primeira fase foram 40 clubes divididos em 8 grupos de 5 times.

O Nordeste e o Sudeste foram as regiões que mais tiveram clubes na disputa da competição nacional em 2015. Foram 12 nordestinos e 9 clubes do Sudeste – completam a lista 7 times do Norte, 6 do Sul e 6 do Centro Oeste.

Primeira fase da Série D – Nordeste e Sudeste são os destaques

Primeira fase da Série D – Nordeste e Sudeste são os destaques

A divisão fica ainda maior quando se analisa as equipes que passaram para a segunda fase (oitavas de final).  Enquanto Sudeste e Nordeste continuam em destaque, o Centro-Oeste praticamente desaparece nas estatísticas.

Na segunda fase duas coisas chamam atenção, o aproveitamento de 50% dos clubes do Sul – de 6 clubes na primeira fase, 3 se classificaram para as oitavas. E o aproveitamento péssimo dos clubes do Centro-Oeste que de 6 clubes apenas 1 consegue a classificação.

Nordeste e Sudeste ainda continuam dominando a lista dos clubes classificados nesta fase.

Oitavas-de-final – Nordeste e Sudeste continuam com mais representantes

Oitavas-de-final – Nordeste e Sudeste continuam com mais representantes

O cenário começa a mudar nas quartas-de-final, quando o Sul consegue aparecer no mesmo patamar do Sudeste, enquanto isso, o Nordeste começa a ter uma queda considerável. O Centro-Oeste acaba sem representantes nas quartas-de-final da Série D, mostrando a fragilidade de uma região que já teve um número maior de clubes nas principais divisões do Campeonato Brasileiro.

Os clubes do Sul foram os mais eficientes das oitavas, de 3 clubes classificados, 3 garantiram vaga nas quartas, um aproveitamento de 100%. Já o Sudeste caiu de 4 para 3, mas o que mais chamou atenção foi o Nordeste que de 5 representantes ficou com apenas 1, um aproveitamento de 20% apenas. A região Norte ficou também com apenas 1 representante.

Quartas-de-final – Sul aparece bem e Sudeste continua entre os maiores

Quartas-de-final – Sul aparece bem e Sudeste continua entre os maiores

Nas semifinais onde os clubes classificados garantem o acesso para a Série C, temos uma fatia um pouco diferente. As quatro regiões que tinham representantes nas quartas garantiram uma vaga nas semifinais, deixando o cenário mais equilibrado. Apesar do número maior de clubes, Nordeste e Sudeste não conseguiram impor sua dominância numérica diante das outras regiões, e acabaram classificando apenas um representante para a Série C.

Semifinais – Igualdade númerica entre as regiões

Semifinais – Igualdade númerica entre as regiões

Diferente do que acontece na Série A e Série B, os times do Sudeste não conseguem se impor na Série D, dando espaço para clubes das outras regiões. O Nordeste, por exemplo, que possui apenas um clube na Série A é o maior representante na Série D.

O que chama atenção é a regularidade dos clubes do Sul do Brasil, que estão cada vez mais chegando longe nas divisões inferiores e buscando vaga na Série A, o exemplo mais claro dessa “evolução sulista” são os clubes de Santa Catarina, que apesar da classificação ruim, conseguiriam um número representativo na Série A.

Confira o que mudou na Série A2 do Paulistão para 2016

A edição do Campeonato Paulista – Série A2 passará por mudanças no regulamento a partir de 2016, isso foi definido no arbitral que aconteceu na semana passada na sede da Federação Paulista de Futebol, com votação da maioria dos clubes sobre as mudanças.

A primeira mudança significativa é o número de acesso, se até 2015 eram 4 clubes que garantiam o acesso, ano que vem serão apenas 2. Além disso, o número de rebaixados sobe de 4 para 6, aumentando a preocupação dos clubes menores.

Outra mudança foi na fórmula de disputa, saem os pontos corridos e volta o “mata-mata”- a primeira fase será em turno único, com 19 rodadas, os 8 melhores se classificam para as oitavas, depois quartas e semis, os dois finalistas estarão na Série A1 em 2017. As quartas e semifinais serão disputadas em duas partidas, já a final será partida única (no dia 8 de maio).

O que continua igual é o limite de 28 jogadores inscritos por equipe (25 jogadores de linha e três goleiros). O prazo para inscrição é no dia 4 de março, ou seja, antes da décima rodada.

O calendário dos jogos só deverá ser divulgado em dezembro, um mês antes do inicio da competição.

Outra mudança que segue o que foi definido na Série A1 é que os técnicos só poderão trabalhar em um clube daquela divisão, evitando a troca de técnicos dentro da mesma série.

Dezenove clubes estão confirmados na Série A2 em 2016, 11 já disputaram a competição em 2015 (Atlético Sorocaba, Batatais, Guarani, Independente, Monte Azul, Paulista, Rio Branco, Santo André, São Caetano, União Barbarense e Velo Clube); quatro foram rebaixados da elite (Bragantino, Marília, Penapolense e Portuguesa) e quatro clubes que conseguiram o acesso (Barretos, Juventus, Taubaté e Votuporanguense).

A última vaga está entre Mirassol e Água Santa – o time de Diadema conseguiu o acesso, mas está com problemas em seu estádio e pode ficar de fora por não ter o número mínimo de lugares para receber jogos da Série A1 e assim pode continuar na Série A2, se não entregar os laudos necessários para a Federação.

Nos pênaltis, Penapolense cai diante do Linense na semi da Copa Paulista

Linense garantiu a vaga na final da Copa Paulista depois de vencer nos pênaltis por 4 a 2.

Linense garantiu a vaga na final da Copa Paulista depois de vencer nos pênaltis por 4 a 2. (Foto: José Luis Silva/ CA Linense)

Jogando neste sábado (14) em Lins, o Penapolense foi derrotado pelo Linense no tempo normal por 1 a 0 – com o resultado, o jogo foi para a decisão por pênaltis. E o time da casa foi mais eficiente e venceu por 4 a 2, garantindo a vaga na final da Copa Paulista, diante do Ituano.

Com a eliminação, o Penapolense começa a pensar na próxima temporada, quando disputa a Série A2 do Paulistão. Já o Linense vai em busca do título que garante vaga na Copa do Brasil ou na Série D do Brasileiro.

Linense pressiona, mas não abre o placar

Jogando em casa e precisando do resultado, o Linense foi para o ataque logo no começo da partida.

Aos 9 minutos, Gedeílson cruzou para Gabrielzinho, que bateu de primeira sem muito perigo para o goleiro Samuel Pires.

Antes dos 20 minutos, o time da casa chegou mais duas vezes com Gabrielzinho que primeiro bateu perto da trave, na segunda chance, cortou dentro da área, mas acabou batendo para fora.

Aos 25 minutos, o CAL abriu o placar, com Tássio – mas o bandeira já havia marcado impedimento, anulando o lance.

Aos 43, a melhor chance do Penapolense, depois de ótima jogada de paraíba, a zaga do Linense coloca a bola para escanteio e por pouco não faz contra.

No intervalo, Moisés Egert (técnico do Linense) foi expulso por reclamação.

Pênalti polêmico no final e decisão na marca da cal

Precisando vencer, o Linense entrou no segundo tempo disposto a tirar o zero do placar. Aos 4 minutos, Gabrielzinho bem que tentou, mas foi marcado impedimento do atacante do CAL.

Aos 25 minutos, o time da casa chega novamente com perigo, depois do cruzamento, três jogadores do Linense tentam, mas não alcançam a bola para cabecear.

1 minuto depois foi a vez de Tavares tentar abrir o placar e parar em ótima defesa de Samuel Pires.

Com o jogo chegando no seu final, o Linense pressionava e o Penapolense se segurava como podia, principalmente com ótima atuação de Samuel Pires.

Aos 39 minutos, o atacante Tardelli caiu na área e o juiz marcou pênalti, para revolta dos jogadores do CAP.  Na cobrança, Thiago Humberto fez 1 a 0 para o time da casa.

Depois do pênalti, Paulinho Kobayashi acabou expulso, deixando o CAP sendo comandado por seu auxiliar nos minutos finais.

Pará e Elbis perdem e Linense garante vaga na final

Na disputa por pênaltis brilhou a estrela de Galletti, o goleiro do Linense que pegou duas cobranças e garantiu a vaga na final da Copa Paulista diante do Ituano.

Pelo Linense fizeram: Rafael Chorão, Marcelo Pé, Gedeílson e Tardelli; já pelo CAP marcaram: Neílson e Jessé e perderam: Pará e Elbis.

Penapolense vira pra cima do Linense e abre vantagem na semi da Copinha

Paraíba comemora o gol da vitória do Penapolense diante do Linense (Foto: Silas Reche/C.A. Penapolense)

Paraíba comemora o gol da vitória do Penapolense diante do Linense (Foto: Silas Reche/C.A. Penapolense)

Jogando neste domingo (8) no estádio Tenente Carriço, o Penapolense recebeu o Linense pela primeira partida da semifinal da Copa Paulista. Depois de sair perdendo, o time da casa virou o placar e venceu por 2 a 1, com gols de Fio e Paraíba; Thiago Humberto descontou para o time de Lins.

Com a vitória, o time de Penápolis joga por um empate na próxima partida, sábado. Ao Linense resta vencer por 2 gols de diferença para chegar à final, ou por 1 gol para levar a decisão para os pênaltis.

Linense começa melhor e sai na frente

Diante de mais de 8 mil pessoas, as duas equipes entraram em campo buscando a vitória desde o primeiro minuto.

Apoiado pela torcida, o Penapolense teve a primeira boa chance aos 5 minutos, depois de boa jogada, Fio cabeceou no travessão e a bola ainda pingou na linha, antes da zaga tirar o perigo.

Aos 12 minutos, novamente o CAP chegou com perigo, desta vez Pará cruzou bem, mas Galletti chegou antes de Kesley, salvando o time de Lins.

A primeira boa chance do Linense aconteceu apenas aos 24 minutos e foi fatal. Depois de tabela de Gabrielzinho e Rafael Aidar, a bola foi rolada para Thiago Humberto, que só teve o trabalho de empurrar para o gol, fazendo 1 a 0 para os visitantes.

Depois do gol, o Linense cresceu por duas vezes só não ampliou o marcador por causa de Samuel Pires, que teve ótima atuação, salvando o CAP.

Penapolense muda e Paraíba brilha no final

Depois de terminar o primeiro tempo em desvantagem, o técnico Paulinho Kobayashi fez duas mudanças no intervalo, saíram Pará e Felipe Merlo e entraram Paraíba e Vinícius.

A primeira boa chance do Penapolense foi apenas aos 11 minutos, depois de cobrança de Paraíba, Ricardo cabeceou e Fio completou para o fundo das redes, empatando a partida.

3 minutos depois, o CAP chegou novamente, mas Dimba foi derrubado na área, mas o juiz marcou falta do atacante em cima do zagueiro Jorge Luiz.

Depois do gol, o Penapolense foi pra cima e o Linense se segurava como podia. Paraíba teve chance de virar o marcador, mas bateu pra fora.

Já no final da partida, Dimba fez ótima jogada e tocou para Paraíba, que bateu perto do gol de Galletti.

Aos 45 minutos, Paraíba fez ótima jogada, driblou Galletti e fez o gol da virada do Penapolense, fazendo 2 a 1 para a alegria dos 8.202 pagantes que lotaram o Tenentão.

Com um a menos, o Linense foi pra cima, mas quem teve chance de matar o jogo foi o CAP – aos 48 minutos, Kesley encobriu o goleiro e a bola explodiu na trave, evitando o 3º gol.

Próximo jogo

A segunda partida será no próximo sábado (14), às 19 horas, no Gilbertão, em Lins. 

Penapolense empata com o Independente e garante vaga na semi da Copa Paulista

Depois de dois empates, o Penapolense garantiu vaga na semifinal da Copa Paulista (Foto: Silas Reche/C.A. Penapolense)

Depois de dois empates, o Penapolense garantiu vaga na semifinal da Copa Paulista (Foto: Silas Reche/C.A. Penapolense)

Jogando neste domingo (1), no estádio Tenente Carriço, o Penapolense empatou em 0 a 0 com o Independente e garantiu a vaga na semifinal da Copa Paulista.

Com o empate, o CAP levou vantagem pois tinha melhor campanha na soma das fases anteriores e por isso garantiu a classificação.

Depois de garantir a classificação, o time se prepara para um clássico regional, já que na outra chave, o Linense garantiu o empate aos 42 do segundo tempo e eliminou o Nacional.

Penapolense aperta, mas não abre o placar

Diante de um bom público, o Penapolense começou pressionando e por pouco não abriu o placar logo aos 8 minutos, depois de belo chute de Pará que Marcelo Bonan espalmou e viu a bola pegar no travessão antes de sair.

O calor e o começo acelerado fizeram os dois times errarem muitos passes e criarem poucas chances de gols.

Aos 28 minutos, novamente Bonan salvou o Independente depois de belo chute de Pará.

O CAP pressionou no final, mas acabou 0 a 0.

Independente por pouco não estraga a festa capeana

Como no primeiro tempo, o CAP começou pressionando e levando perigo com chutes de Fio e Neílson.

Buscando garantir a classificação, o Penapolense pressionou, mas esbarrou em manhã inspirada de Marcelo Bonan.

Aos 15 minutos, o duelo entre Pará e Bonan ganhou um novo capítulo, após dividida com o meia, o goleiro salvou o que seria o primeiro gol do CAP.

Dois minutos depois foi a vez de Jairo tentar e o goleiro aparecer novamente e evitar o primeiro gol.

Aos 23 minutos, a melhor chance do Independente, Americano recebeu belo passe e bateu forte, a bola explodiu na trave, assustando os torcedores que estavam no Tenentão.

Já no final da partida, Dominguinhos recebeu dentro da área e chutou para fora, após ótimo passe de Dimba.

No minuto final, PC tentou boa jogada, mas acabou cruzando para as mãos de Samuel Pires.

Próximo jogo

A primeira partida da semifinal será disputada no próximo domingo (8), às 10h, no Tenentão. O Linense joga por dois resultados iguais, pois possui melhor campanha na soma da competição.