Penapolense reage, mas perde em casa para a Ferroviária por 3 a 2

cap.jpg

Penapolense sofreu a segunda derrota seguida jogando no Tenentão (Foto: Silas Reche/CA Penapolense)

O Penapolense recebeu a Ferroviária nesta quarta-feira (16) pelo jogo adiado na última rodada do primeiro turno da Copa Paulista e acabou sofrendo a segunda derrota seguida em casa. Depois de ser goleado pelo XV de Piracicaba no Tenentão, o time perdeu mais uma, desta vez para o time de Araraquara, por 3 a 2.

Com a vitória, a Ferroviária está na segunda colocação do grupo com 15 pontos, um a menos que o líder XV de Piracicaba. Já o CAP continua na quarta posição com 7 pontos e tem apenas um ponto a mais que o Noroeste – próximo adversário do time de Penápolis.

Ferroviária abre 2 a 0 no Tenentão

Jogando em casa e pressionado depois da goleada diante do XV de Piracicaba, o Penapolense até tentou dominar a partida, mas criou poucas chances claras de gol.

Já a Ferroviária conseguiu dominar a partida depois da pressão inicial e abriu o placar logo aos 22 minutos, Hygor fez ótima jogada individual e bateu forte da entrada da área, sem chance para o goleiro, fazendo 1 a 0 para o time visitante.

Ainda no primeiro tempo, a Ferrinha conseguiu ampliar o placar, Alisson cruzou e Léo Castro apareceu sozinho dentro da pequena área para 2 a 0 para o time de Araraquara.

CAP reage, mas não consegue o empate

Diferente do primeiro tempo, o CAP conseguiu uma chance clara de gol logo aos 9 minutos. O zagueiro PV bateu o pênalti e acertou a trave, perdendo a chance de diminuir a vantagem dos visitantes. E o castigo veio aos 17 minutos, William Favoni não perdeu a chance e fez o 3º gol do time de Araraquara, praticamente matando a partida.

Em desvantagem, o Penapolense foi para o ataque e conseguiu o primeiro gol aos 32 minutos, Altino bateu falta e Léo Marques completou para o gol, fazendo 3 a 1.

E no abafa dos minutos finais, o CAP ainda encontrou o segundo gol com Douglas, aos 44 minutos, que apareceu livre e conseguiu marcar o segundo do CAP.

Próximos jogos

Pela nona rodada, o Penapolense vai até Bauru enfrentar o Noroeste no próximo sábado(19), às 16 horas. Já a Ferroviária vai até Lins, enfrentar o Linense também no sábado, mas às 19 horas.

Penapolense estreia com derrota em Araraquara

Jogando na noite deste sábado no estádio da Fonte Luminosa, o Clube Atlético Penapolense perdeu para a Ferroviária do ex-técnico Ito Roque, o gol do time de Araraquara foi marcado por Daniel, aos 32 minutos do segundo tempo.

O Penapolense não conseguiu manter mesmo nível dos jogos na A2, até pela mudança no elenco, principalmente no meio campo, responsável por abastecer Fio e Luciano Gigante.

No primeiro tempo, o jogo não teve fortes emoções, o time da Ferroviária foi pra cima, chegou a fazer uma pressão, mas não levou nenhum perigo ao gol do goleiro Washington, que ficou com a camisa titular depois da saída de Ricardo. O lance mais polêmico da primeira etapa foi a expulsão do zagueiro Felipe, depois de um lance fora de jogo. Mesmo com um jogador a mais, o CAP continuava sofrendo para finalizar a gol.

No segundo tempo pouca coisa mudou, os times continuaram marcando bem no meio campo, e criaram poucas chances para conclusões e gols. Até que aos 32 minutos, Daniel abriu o placar para a equipe da casa. O Penapolense parecia cansado e não conseguiu reagir, amargando a primeira derrota na competição logo na estréia.

A próxima partida do time de Penápolis é no dia 29/07, em casa, contra o Marília, válida pela 4ª rodada, o jogo da terceira rodada que seria no meio de semana contra o Barretos foi remarcado para o dia 8/8, devido aos Jogos Regionais que estão acontecendo na cidade.

Ficha Técnica

Ferroviária 1 x 0 Penapolense
Local: Arena Fonte Luminosa, em Araraquara
Data: 21/07/2012
Horário: 18h30
Público: 545 pagantes
Renda: R$ 3.370,00
Cartões amarelos: Wellington Amorim, Anderson Santos e Nildo (AFE); Vagner e Diego Faria (CAP)
Cartão vermelho: Di Fábio (AFE)
Gol: Daniel, aos 32’/2T (AFE)

Ferroviária:
Bruno Prandi; Alan, Anderson Santos, Carlinhos, Di Fábio e Tatá; Nildo, Felipe Blau e Léo Carvalho (Daniel); Robson e Welington Amorim (Leandro Banana)
Técnico: Ito Roque.

Penapolense:
Washington; Niander, Perez, Biro e Rodrigo Biro; Dominguinhos, Vagner (Fabinho), Diego Faria (Danilo) e Felipe Baiano; Fio (Beto) e Luciano Gigante
Técnico: Edison Só

Entrevista com Amanda Martins

Amanda_martins

Confira a entrevista com a jogadora de vôlei, Amanda Martins, que este ano irá disputar a Superliga pela Uniara, mas que já defendeu outros clubes, entre eles: Mackenzie, Osasco entre outros, a atleta saiu de Penápolis e quer se firmar no cenário nacional para “sonhar” com a vaga na seleção de novos, confira o “bate bola” da bela com esse repórter.

Z: Com quantos anos começou no vôlei?

A: Comecei a jogar vôlei com 15 anos.

Z: Onde começou a treinar?

A: Comecei a treinar no Osasco.

Z: Chegou a jogar em Penápolis, antes de ir para o Osasco?

A: (risos) Verdade, joguei sim, comecei a jogar com a Deja.

Z: Quanto tempo ficou treinando e jogando em Penápolis antes de ir para o Osasco?

A: Não me lembro muito bem, mas acho que foi um ano, por aí.

Z: Qual sua altura?

A: Tenho 1.83

Z: Qual sua Idade?

A: Agora estou com 21

Z: Com quantos anos saiu de casa pra seguir a carreira no vôlei?

A: Sai de casa com 15 anos, quando eu fui para o Osasco.

Z: Em quais cidades e clubes você já passou em sua carreira?

A: Passei pelo Finasa em Osasco, Paulistano em São Paulo, Rio de Janeiro, Mackenzie em Belo Horizonte, São José dos Campos, Franca, e agora estou em Araraquara.

Z: Quando começou no vôlei, teve algum incentivo especial de alguém da família?

A: Sim, tive apoio de todo mundo da minha família, desde meus pais, minha avó, meus tios e até dos meus irmãos (risos)

Z: Quais as principais referencias que você tem no esporte? Em quem você se espelha?

A: Tem a Jaqueline, do Osasco, acho que é a jogadora que eu mais me espelho.

Z: Nas categorias de base, chegou a jogar com as atletas que hoje jogam na Seleção Brasileira?

A: Com algumas sim, a Nathalia jogava no Osasco também.

Z: Você já defendeu a seleção de base? O que falta para você chegar à Seleção de Novas?

A: Já defendi sim. Acho que falta muita coisa ainda (para chegar à seleção de novas), entre elas, uma sequência maior e me firmar no cenário nacional.

Z: Se fosse pra escolher um time pra defender na próxima Superliga, qual seria?

A: Uniara de Araraquara.

Z: Se fosse jogar em algum outro país, qual seria? Por quê?

A: Azerbaijão, por estar crescendo e por pagarem bem, e na Itália por existir grandes equipes por lá e ser um país referencia no vôlei.

Z: Jogadoras viajam muito, e ficam longe da família, como você lida com isso?

A: Eu já me acostumei, mas “fico que nem louca” para ir pra casa, aí quando eu chego em casa, “fico igual doida” querendo voltar pros treinos, jogos e viagens. Mas sou muito família, super apegada mesmo, então sempre bate aquela saudade.

Z: Você é de Penápolis, como avalia o vôlei na cidade? E o vôlei de Araçatuba que hoje se tornou referência nacional, já chegou a enfrentar o time de lá?

A: Já enfrentei o Vôlei Futuro no adulto mesmo. E em Penápolis, a categoria de base é boa, até porque a Deja é uma ótima técnica e isso acaba ajudando as crianças a não desistirem do esporte.

Z: Tem alguma história engraçada dentro de quadra ou nos vestiários?

A: Ter sempre tem, mas não me recordo de nenhuma agora.

Z: Qual seu maior sonho no esporte?

A: Não sei dizer o maior não, mas quero ser feliz, fazendo o que eu gosto, que é jogar vôlei.

Z: O Brasil é o atual campeão olímpico, você acha que temos jogadoras de alto nível para conquistar mais uma medalha de ouro?

A: Acredito que sim, essa Superliga (2011/2012) comprova isso, várias “novas jogadoras” apareceram nesta edição e que podem manter essa tradição.

Z: Como lida com a questão da sua beleza, que também chama atenção. Ouve muita cantada das arquibancadas?

A: (risos) Agora levo numa boa, é normal, sempre tem né(cantadas), não tem jeito. Agora eu aceito e acho até graça.

Z: Quais os planos para a temporada 2012/2013?

A: Acho que o principal plano é disputar a Superliga pela Uniara. Depois não sei o que vai acontecer, mas de concreto até agora, só isso mesmo.

Z: Gosta das redes sociais? Tem Facebook e Twitter?

A: Tenho sim, não lembro a senha do meu Twitter, então nunca mais usei. Depois comecei a namorar abandonei tudo, quando terminei, voltei a usar o Facebook, mas o Twitter acabou ficando parado mesmo.

Z: O que é pior na hora de dar uma entrevista?

A: Ah é complicado, me dá branco na hora de responder, por mais que você saiba a resposta, eu fico super nervosa, com medo de dizer alguma coisa que não tem nada a ver. (risos)

Z: Esse ano teve uma competição das “Musas” da Superliga, você está disposta a concorrer a musa da superliga na próxima temporada?

A: (risos) eu? De jeito nenhum, não sou conhecida, não tem como disputar com as outras jogadoras. Muita gente me acha com cara de “patricinha” (risos). Nunca passo uma boa impressão à primeira vista. Acho que não teria chance não. (risos)

Maringá em ação neste fim de semana

O vôlei de Maringá que continua invicto no campeonato estadual volta à quadra neste final de semana, na sexta feira o jogo é às 19 horas, no ginásio do colégio Regina Mundi. E no sábado o jogo começa às 16 horas, os dois jogos são contra o Círculo Militar/ Dom Bosco, que está na última posição do estadual, sem nenhuma vitória até agora. É a primeira rodada do returno desse campeonato estadual, depois desses jogos, o time maringaense vai terminar a 1ª fase fora de casa enfrentando Cascavel.

A notícia agradável fica por conta do retorno de Tarcisio, já Rangel ainda não está 100% e continua de fora, ambos não jogaram no último jogo contra Araucária, pela última rodada do turno, nos jogos que também foram no colégio Regina Mundi. Como já postei aqui, o time de Maringá é líder isolado com 12 pontos, dois a mais que Araucária que é vice-líder e enfrenta Cascavel no ginásio da Cachoeira, na grande Curitiba. A equipe adversária do time maringaense é o inverso do time da casa, enquanto Maringá soma 6 vitórias em 6 jogos, Circulo Militar/Dom Bosco soma 6 derrotas em 6 jogos.

Em caso de duas vitórias, o time maringaense chega a 16 pontos, abrindo uma boa vantagem sobre seus adversários diretos por uma vaga na final do estadual, e o Círculo Militar/ Dom Bosco joga pela sua sobrevivência na competição estadual, será um jogo complicado para a equipe maringaense, que buscar continuar com 100% de aproveitamento na competição.

Liga Nacional – Seletiva Sul

Agora mudando um pouco de assunto, vamos falar da seletiva sul para a fase final da Liga Nacional que dá 3 vagas para a Superliga Masculina, e os prováveis adversários da nossa equipe aqui na região sul, será mesmo nosso rivais de Foz do Iguaçu, que passam sem nenhuma dificuldade pela seletiva, vencendo Inesul/Rolândia, Araucária e Circulo Militar/Dom Bosco, o time de Foz venceu os 3 jogos, e não teve nenhum adversário à altura.

Na fase final da Liga Nacional, o time de Foz irá enfrentar equipes como Flamengo e Araraquara, que se classificaram nas suas chaves da seletiva Sudeste da Liga Nacional (que contava com equipes de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais), além de Maurício de Nassau de Pernambuco que se garantiu no grupo 5 (que contava com as equipes de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte) e Upis do Distrito Federal que se classificou no grupo 4 que contava com a participação de equipes do Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso.

Ainda falta a definição de alguns grupos, são eles grupo 1, grupo 2 e o campeão do grupo 5 (que sai da disputa entre Flamengo e Araraquara). Os duelos finais serão em Fortaleza, e os nosso rivais chegam com moral para a fase final, depois de terminarem a 1ª fase invictos.

Futsal – Chave Ouro do Paranaense

Vale lembrar ainda, que no sábado tem jogo entre Ciagym/Maringá e Cascavel, valendo vaga para a fase final, já que os dois times estão empatados com 6 pontos, em 2º lugar junto com Marechal Cândido Rondon, que perdeu no último sábado por 4×3 para o Ciagym/Maringá.

por Zuba Ortiz