Ciagym/Maringá x Santos Futsal – Entrevistas

No último dia 2 de dezembro, aconteceu a reinauguração do ginásio Chico Neto, em Maringá. O jogo de abertura foi entre Ciagym/Maringá e Santos Futsal.

A  equipe de Falcão e cia venceu por 5 a 2.

Mais do que uma abertura, a partida serviu como uma possível prévia do confronto em 2012 pela Liga Futsal, já que o Ciagym/Maringá possui boas chances de disputar a competição nacional no próximo ano.

Confira a entrevista do craque Falcão, falando da possível vaga na Liga para Maringá, do novo Chico Neto:

Confira a entrevista do técnico do Ciagym/Maringá, Amorim, falando sobre os planos do próximo ano:

Confira a entrevista do jogador do Santos Futsal, Deives, falando da reação santista e deixando um recado pros empresários e para a Prefeitura.

Confira a entrevista do capitão do Ciagym/Maringá, Valtinho, falando sobre o jogo e sobre a chance de disputar a Liga Nacional em 2012:

Anúncios

Falta de patrocínio: Até quando?

Esporte maringaense enfrenta dificuldade de disputar competições nacionais

A cidade de Maringá possui bons times, mas sempre tem dificuldade para disputar campeonatos fora do estado, pois falta apoio financeiro por parte da iniciativa privada e pública. Um exemplo de que o esporte deixa a desejar é o fato dos atletas maringaenses só se tornarem destaques nacionais quando vão jogar em times de outras cidades.

Maringá já disputou torneios nacionais em diversas modalidades, seja no futebol de campo, no vôlei ou futsal, mas hoje em dia o esporte maringaense anda esquecido. O apoio é mínimo e em muitos casos é praticamente inexistente. Graças a isso, os times e atletas precisam fazer alguns “milagres” para continuar na ativa.

O time de vôlei é um exemplo disso. No ano passado conseguiu participar da Superliga, com o apoio de algumas empresas da cidade, mas neste ano a falta de patrocínio fez com que o time pedisse um afastamento da competição nacional. Mesmo com o titulo dos Jogos Abertos do Paraná e do Campeonato Estadual, a equipe não conseguiu o apoio necessário para garantir a sua participação. Outro time que foi bem é o Ciagym/Maringá de futsal, que mesmo sem muito apoio conseguiu ser vice-campeão Estadual e também o terceiro lugar nos Jogos Abertos do Paraná.

Um dos motivos para Maringá enfrentar dificuldades todo ano na montagem de equipe é justamente a falta de patrocinadores e de empresários da cidade dispostos a investir no esporte da cidade. “Teria de fazer uma discussão, chamar os empresários, e expor o as vantagens e falar do retorno que isso dá, em nível nacional, para que eles possam investir nesses esportes amadores, que dão mais retorno que o futebol”, afirmou o secretário de Esportes, Márcio Stábile

A prefeitura por meio da Lei de Incentivo ao Esporte repassa parte dos impostos para as associações esportivas da cidade, ajudando assim a manter o esporte da cidade, mesmo sem patrocínio de outros setores. “A prefeitura faz a parte dela, ela fornece espaço e ela repassa recursos para a formação de atletas” afirmou Stábile.

Maringá, que já foi destaque no cenário nacional do futebol – na época do glorioso Grêmio Maringá -, passa por uma situação difícil. O time da cidade, o Galo/Adap, é mais um reflexo da falta de apoio às equipes maringaenses. A equipe pediu afastamento do Campeonato Paranaense devido à falta de patrocinadores, o que pegou muita gente de surpresa e, inclusive, gerou revolta entre a torcida da cidade. O Secretário de Esportes afirmou que também não esperava, pois estava aguardando a direção da equipe pra definir a utilização do estádio Willie Davids no campeonato estadual.

Para o estudante e torcedor maringaense, Felipe Botion, a ausência do time de futebol foi bastante sentida. ”Eu fiquei triste, Maringá é uma cidade com tradição no futebol, tricampeã do estado, não pode ficar sem um time de futebol”, afirmou o estudante. Ele acha ainda que as empresas da cidade têm medo de “gastar” dinheiro com qualquer tipo de esporte, já que elas visam somente o lucro, e dependendo do esporte esse lucro seria pouco, ou demoraria muito a aparecer.

“Eu vejo alguns empresários que não pensam no esporte da cidade, em ajudar a cidade de alguma maneira, o que não falta é empresário que tem dinheiro para investir em esporte, mas acho que eles não acham interessante”, afirmou Carlos Emori Júnior, torcedor.

Alguns atletas precisam sair da cidade para continuar no esporte e, em alguns casos, esses atletas acabam se tornando destaques nacionais. Foi o que aconteceu com o jogador de vôlei, Robinson Dvoranen, que hoje defende as cores da Ulbra na Superliga de Vôlei. Outro atleta que deixou a cidade para continuar no esporte foi o também jogador de vôlei, Fernando Mari, que acabou indo para a Europa, disputar o campeonato português pelo time do Esmoriz. Os dois atletas começaram no vôlei por aqui, mas tiveram de sair da cidade para conseguir algo melhor para a carreira. O caso de Fernando é mais recente. Ele saiu da equipe após a conquista do título estadual deste ano.

Fernando Mari é meio de rede e participou das conquistas dos Campeonatos Estaduais do ano passado e deste ano, e do título dos Jogos Abertos do Brasil também este ano. “A nossa cidade sofre com a falta de investidores, porém não é somente esse o problema, acho que falta um apoio daqueles que tem a verdadeira responsabilidade com isso, ou seja, Prefeitura, Governo do Estado. Se o Poder Público não ajuda e não vai atrás, qual é a credibilidade que é passada para um investidor? Sendo que nem aqueles que têm a “obrigação” de ajudar não colaboram”, afirmou o jogador que passou boa parte de sua carreira defendendo as cores de Maringá.

Mesmo com tantas dificuldades, os times maringaenses geralmente superam os problemas e estão se firmando cada vez mais como destaques no estado, com conquistas consecutivas dos campeonatos estaduais, como no caso do vôlei e do handebol. Além disso, “brigam” por um lugar ao sol no cenário nacional, coisa que os times ainda não têm conseguido.

por Zuba Ortiz

Fim de Semana Esportivo em Maringá – Vôlei e Futsal

Maringá mais uma vez venceu os dois jogos que disputou no final de semana, nos jogos de sexta e sábado, o time maringaense venceu os dois jogos contra o Círculo Militar/ Dom Bosco, de Ponta Grossa, jogando no colégio Regina Mundi.

Na sexta feira, o jogo foi mais equilibrado, e o time de Maringá só conseguiu a vitória no 5º set. No jogo de sexta, o time perdeu o 1º set, venceu o 2º, perdeu o 3º, venceu o 4º e o 5º set.

No sábado, o jogo foi mais tranqüilo para o time de Maringá que venceu o jogo por 3 sets a zero, com parciais de 25×19, 25×14 e 25×21. Com o resultado o time de Maringá continua com 100% de aproveitamento, após oito jogos do estadual, já o time do Círculo Militar/Dom Bosco, continua sendo o inverso da equipe maringaense, foram oito jogos e oito derrotas. 0% de aproveitamento até agora na competição estadual.

Maringá precisa de uma ou duas vitórias nos quatro jogos que faltam para garantir matematicamente a vaga para a final do campeonato estadual, agora são duas semanas de trabalho, para que essas vitórias venham contra Cascavel, e que o time enfrente araucária sem nenhuma responsabilidade e com a vaga já garantida na grande final.

FUTSAL – CIAGYM X CASCAVEL

Dessa vez não deu pro nosso futsal, o Ciagym até começou o jogo dando a impressão de que dominaria o jogo, abrindo logo de cara 2×0 com gols de Butina e Kumano, depois Cascavel descontou, mas o time maringaense fechou o 1º tempo com 3×2 no placar.

E a superioridade do 1º tempo acabou ficando no vestiário, no segundo tempo, o time tomou o empate faltando 15 minutos para o final do jogo, depois disso, o jogo foi equilibrado, até que o time visitante fez 4×3, depois disso, o time maringaense teve que se arriscar mais e com o goleiro linha acabou tomando dois gols, ainda conseguiu descontar com Alan, mas era tarde, final de jogo Cascavel 6×4 Ciagym/Maringá.

O time que agora vai até Medianeira enfrentar a equipe da casa e depende de uma vitória para garantir a classificação para a fase final da Chave Ouro.

por Zuba Ortiz

Maringá em ação neste fim de semana

O vôlei de Maringá que continua invicto no campeonato estadual volta à quadra neste final de semana, na sexta feira o jogo é às 19 horas, no ginásio do colégio Regina Mundi. E no sábado o jogo começa às 16 horas, os dois jogos são contra o Círculo Militar/ Dom Bosco, que está na última posição do estadual, sem nenhuma vitória até agora. É a primeira rodada do returno desse campeonato estadual, depois desses jogos, o time maringaense vai terminar a 1ª fase fora de casa enfrentando Cascavel.

A notícia agradável fica por conta do retorno de Tarcisio, já Rangel ainda não está 100% e continua de fora, ambos não jogaram no último jogo contra Araucária, pela última rodada do turno, nos jogos que também foram no colégio Regina Mundi. Como já postei aqui, o time de Maringá é líder isolado com 12 pontos, dois a mais que Araucária que é vice-líder e enfrenta Cascavel no ginásio da Cachoeira, na grande Curitiba. A equipe adversária do time maringaense é o inverso do time da casa, enquanto Maringá soma 6 vitórias em 6 jogos, Circulo Militar/Dom Bosco soma 6 derrotas em 6 jogos.

Em caso de duas vitórias, o time maringaense chega a 16 pontos, abrindo uma boa vantagem sobre seus adversários diretos por uma vaga na final do estadual, e o Círculo Militar/ Dom Bosco joga pela sua sobrevivência na competição estadual, será um jogo complicado para a equipe maringaense, que buscar continuar com 100% de aproveitamento na competição.

Liga Nacional – Seletiva Sul

Agora mudando um pouco de assunto, vamos falar da seletiva sul para a fase final da Liga Nacional que dá 3 vagas para a Superliga Masculina, e os prováveis adversários da nossa equipe aqui na região sul, será mesmo nosso rivais de Foz do Iguaçu, que passam sem nenhuma dificuldade pela seletiva, vencendo Inesul/Rolândia, Araucária e Circulo Militar/Dom Bosco, o time de Foz venceu os 3 jogos, e não teve nenhum adversário à altura.

Na fase final da Liga Nacional, o time de Foz irá enfrentar equipes como Flamengo e Araraquara, que se classificaram nas suas chaves da seletiva Sudeste da Liga Nacional (que contava com equipes de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais), além de Maurício de Nassau de Pernambuco que se garantiu no grupo 5 (que contava com as equipes de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte) e Upis do Distrito Federal que se classificou no grupo 4 que contava com a participação de equipes do Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso.

Ainda falta a definição de alguns grupos, são eles grupo 1, grupo 2 e o campeão do grupo 5 (que sai da disputa entre Flamengo e Araraquara). Os duelos finais serão em Fortaleza, e os nosso rivais chegam com moral para a fase final, depois de terminarem a 1ª fase invictos.

Futsal – Chave Ouro do Paranaense

Vale lembrar ainda, que no sábado tem jogo entre Ciagym/Maringá e Cascavel, valendo vaga para a fase final, já que os dois times estão empatados com 6 pontos, em 2º lugar junto com Marechal Cândido Rondon, que perdeu no último sábado por 4×3 para o Ciagym/Maringá.

por Zuba Ortiz