Juazeirense-BA bate América-RN e garante vaga na Série C

juazeirense série c.jpg

Juazeirense é o primeiro clube baiano a conquistar acesso à Série C (Foto: Divulgação/América-RN)

Jogando na Arena das Dunas, o América-RN precisava vencer a Juazeirense por três gols de diferença para garantir o acesso à Série C. Depois de fazer 3 a 0 em Juazeiro, o time baiano conseguiu segurar o empate em 1 a 1 neste domingo(13) e garantiu o primeiro acesso de um time baiano à Série C na história.

Mesmo com o estádio com quase 13 mil torcedores – o melhor público da Série D no ano – o Canção não se intimidou e saiu na frente com Salatiel, o Mecão conseguiu o empate com Cascata ainda no primeiro tempo. Com o resultado, a Juazeirense pela primeira vez estará na disputa da Série C, já o América-RN disputará a Série D novamente em 2018 para buscar uma vaga na Série C – o time foi rebaixado para a Série D em 2016.

Apontado como zebra no confronto – tinha 15 pontos contra 25 do América-RN, que era o melhor time da Série D – o time do interior baiano fez o dever de casa e venceu em casa por 3 a 0 no jogo de ida e administrou a partida de volta para comemorar a vaga na terceira divisão do futebol brasileiro.

O “clima de guerra” começou muito antes da bola rolar, durante a madrugada, os jogadores e comissão técnica da Juazeirense foram acordados com fogos em frente ao seu hotel, uma tática dos torcedores do América-RN. Na entrada no estádio, mais confusão, dessa vez os torcedores do Mecão lançaram objetos no ônibus da equipe baiana.

Se pelo lado baiano, o domingo é de muita comemoração pela vaga na Série C; do lado potiguar é uma temporada para ser esquecida: eliminação na primeira fase da Copa do Nordeste, fora das disputas de turno do campeonato estadual e eliminação em casa na Série D, mesmo com a melhor campanha até as quartas-de-final.

Salatiel brilha e Cascata tenta salvar o América-RN

Precisando de três gols para levar a decisão para os penaltis, o América-RN partiu para o ataque desde o primeiro minuto, mas sofria para furar a retranca do time baiano.  Sem conseguir chegar até a área tocando, o time da casa começou a arriscar de longe, com Marcos Júnior e Robson que fizeram Tigre fazer ótimas defesas e aparecer como destaque no começo do jogo. E na pressão e apoiado pela torcida, o América-RN acertou o travessão depois de ótima cobrança de falta de Cascata.

O time visitante buscava um contra-ataque para matar o jogo, e conseguiu o gol aos 35 minutos do primeiro tempo. Alex Sandro partiu em velocidade, driblou Richardson e bateu forte, o goleiro Fred espalmou e a bola sobrou para o artilheiro Salatiel, que bateu sem chances, abrindo o placar na Arena das Dunas.

Em desvantagem e precisando de 5 gols, o Mecão foi para o ataque e conseguiu diminuir ainda no primeiro tempo. Depois de ótima jogada de Cascata, o camisa 10 bateu forte de fora da área, sem chance para Tigre, fazendo 1 a 1.

América-RN parte para o desespero, mas Juazeirense garante o acesso

Precisando de 4 gols para garantir o acesso, o técnico Leandro Campos partiu para o ataque e colocou em campo Geovani, Robert e Sabão. Já a Juazeirense continuava com a mesma tática do primeiro tempo, esperando um contra-ataque para definir a partida e comemorar o acesso.

Com o relógio correndo contra o time da casa, os jogadores começaram a ficar nervosos e os erros de passe começaram a aumentar, melhor para o time visitante que fazia falta e segurava o jogo.

Antes do apito final, Alex Sandro teve a chance de matar o jogo, mas pegou mal na bola e o chute saiu fraco. Já o América-RN na base do desespero buscava jogada individuais, principalmente com Cascata e cruzamentos na área buscando Tadeu. Apesar do esforço, o time da casa não conseguiu reverter a vantagem do time baiano e viu o clube de Juazeiro comemorar diante de quase 13 mil torcedores americanos.

Salatiel faz gols decisivos e garante o Cancão na Série C

Depois de fazer campanhas ruins na Copa do Nordeste e no Campeonato Baiano, a Juazeirense começou bem a disputa da Série D e tinha como um dos principais destaques o atacante Sassá, que acabou sendo vendido para um clube da Coréia do Sul. Para repor a saída, a diretoria do Cancão de Fogo apostou no desconhecido Salatiel.

O jogador tinha passagens por clubes do interior de São Paulo e do Paraná e estava no Panambi, do Rio Grande do Sul.

Depois que chegou, o jogador disputou posição com Robert e acabou sendo decisivo no acesso do Cancão. O camisa 9 marcou 3 gols na Série D, todos na fase de mata-mata. Dois gols contra o América-RN, um na partida de ida e outro no empate que garantiu o acesso; e um diante do Fluminense de Feira-BA no duelo baiano nas oitavas de final.

Bahia consegue o primeiro acesso à Série C

Dos estados do Nordeste, apenas a Bahia nunca havia conquistado um acesso na Série D, desde que ela foi criada, em 2009.

De lá pra cá, alguns times baianos já bateram na trave. O último havia sido o Fluminense de Feira em 2016 – quando foi eliminado nas quartas-de-final para o Volta Redonda-RJ.

Já em 2014 foi a Jacuípense, que foi eliminada nas quartas de final para o Confiança-SE e ficou perto do acesso.

Um dado interessante no Campeonato Brasileiro é que tirando os acessos da dupla BaVi, a Juazeirense foi a primeira equipe do estado a conseguir subir de divisão no futebol nacional.

A temporada 2017

Nem o mais otimista torcedor da Juazeirense poderia acreditar no acesso à Série C no começo da temporada. O clube do interior sofreu nos primeiros meses do ano. O time não conseguiu repetir a boa participação de 2016 no Campeonato Baiano e brigou até as últimas rodadas contra o rebaixamento. O time teve três vitórias (1 a 0 no Flamengo de Guanambi, 1 a 0 no Galícia e 4 a 1 no Bahia de Feira),  três empates (1 a 1 com o Jacobina, 2 a 2 com o Atlântico, 0 a 0 com o Vitória da Conquista) e quatro derrotas (2 a 1 para o Vitória, 2 a 1 para o Bahia, 1 a 0 para a Jacuípense e 2 a 1 para o Fluminense de Feira) e ficou apenas na 7ª posição – com essa classificação, o time nem disputaria a Série D em 2018.

Na Copa do Nordeste, a equipe estava no Grupo C com: Sport-PE, River-PI e Sampaio Corrêa-MA. A equipe baiano foi a lanterna do grupo, com apenas uma vitória e cinco derrotas, ficando em 4º lugar no grupo com apenas três pontos. A única vitória da equipe foi diante do Sampaio Corrêa-MA por 3 a 0.

Quando começou a Série D, a história começou a mudar, na primeira fase num grupo que contava com: Souza-PB, Coruripe-AL e Central-PE, o time baiano foi o primeiro colocado, com nove pontos – foram duas vitórias, três empates e apenas uma derrota. Essa derrota inclusive foi na 6ª rodada, quando o clube baiano já estava garantido na próxima fase e foi derrotado em casa pelo Coruripe-AL por 1 a 0.

Na segunda fase, o time teve um adversário baiano, o Jacobina e depois de empatar fora de casa em 2 a 2, fez o dever de casa e venceu por 3 a 1, garantindo a vaga nas oitavas-de-final.

Na fase seguinte, novamente um duelo baiano, dessa vez contra o Fluminense de Feira, um dos favoritos ao acesso. Em Feira de Santana, 3 a 3, num jogo emocionante do começo ao fim. No jogo de volta, em Juazeiro, o empate em 0 a 0 garantiu o time nas quartas-de-final pelo critério do gol marcado fora de casa.

E na disputa pelo acesso, como tinha a pior campanha entre os oito clubes classificados, acabou ficando na chave ao lado do até então favorito, América-RN. E o final da história, todos já conhecem. Vaga na Série C garantida para 2018 e festa em Juazeiro.

Anúncios

CBF muda o sistema de vagas na Série D

botafogo sp_Fotor.jpg

Botafogo/SP é o atual campeão da Série D (Foto: Rogério Morotti/Agência Botafogo)

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), confirmou através de seu departamento de competições, que enviou um ofício para todas as federações estaduais sobre mudanças nas vagas na Série D em 2017.

De acordo com o documento, os clubes que irão disputar a edição em 2016 também estarão garantidos na disputa do ano seguinte. De 2017 em diante, os classificados serão decididos pelos estaduais ou por seletivas, decisão feita por cada federação estadual.

Em entrevista ao Globoesporte.com, o gerente de competições, Gustavo Pessoa, disse que a medida foi tomada para melhorar a organização e a logística da competição. Isso por que os participantes serão conhecidos no ano anterior, facilitando o planejamento.

“Ficamos sempre na espera para saber qual clube que vai participar e às vezes não conseguimos fazer isso rápido. Se a gente tiver uma definição no ano anterior, tem um semestre inteiro para organizar a melhor forma do campeonato”, disse o dirigente ao Globoesporte.com.

As federações estaduais estão liberadas para realizar torneios seletivos no segundo semestre para definir seus representantes. Para a disputa do torneio em 2017, os clubes devem ser indicados até dia 31 de outubro de 2016.

Lembrando ainda que os clubes rebaixados na Série C não tem esse privilégio e não terão garantia no ano seguinte, abrindo vagas para algumas federações.

Confira o ofício que foi enviado para as federações na íntegra:

“Informamos que os clubes que obtiverem classificação para disputar a Série D de 2016 também serão os representantes das suas respectivas federações na edição de 2017, podendo, no entanto, ser realizado um torneio seletivo, no segundo semestre de 2016, pelas federações de tenham direito a uma vaga, para definição do seu clube classificado para 2017. As federações que tenham direito a duas vagas poderão utilizar o Torneio Seletivo para indicar seu segundo representante na edição de 2017.

Na hipótese da concessão de vaga via Torneio Seletivo, esse torneio necessariamente deverá ser disputado por um número mínimo de quatro clubes e todos os participantes devem pertencer à 1ª Divisão de Profissionais no ano anterior ao campeonato que se destina a vaga.

O prazo final para definição dos representantes de cada federação para a edição de 2017 é 31/10/16.

A partir de 2017 os clubes classificados pelos seus estaduais ou seletivos em um determinado ano disputarão o Campeonato da Série D do ano seguinte.”

Clubes do Nordeste e Sudeste foram maioria na Série D de 2015

A Série D do Campeonato Brasileiro terminou no último sábado com o título do Botafogo de Ribeirão Preto/SP diante do River/PI. A final da competição foi apenas um espelho da divisão de clubes deste ano, na primeira fase foram 40 clubes divididos em 8 grupos de 5 times.

O Nordeste e o Sudeste foram as regiões que mais tiveram clubes na disputa da competição nacional em 2015. Foram 12 nordestinos e 9 clubes do Sudeste – completam a lista 7 times do Norte, 6 do Sul e 6 do Centro Oeste.

Primeira fase da Série D – Nordeste e Sudeste são os destaques

Primeira fase da Série D – Nordeste e Sudeste são os destaques

A divisão fica ainda maior quando se analisa as equipes que passaram para a segunda fase (oitavas de final).  Enquanto Sudeste e Nordeste continuam em destaque, o Centro-Oeste praticamente desaparece nas estatísticas.

Na segunda fase duas coisas chamam atenção, o aproveitamento de 50% dos clubes do Sul – de 6 clubes na primeira fase, 3 se classificaram para as oitavas. E o aproveitamento péssimo dos clubes do Centro-Oeste que de 6 clubes apenas 1 consegue a classificação.

Nordeste e Sudeste ainda continuam dominando a lista dos clubes classificados nesta fase.

Oitavas-de-final – Nordeste e Sudeste continuam com mais representantes

Oitavas-de-final – Nordeste e Sudeste continuam com mais representantes

O cenário começa a mudar nas quartas-de-final, quando o Sul consegue aparecer no mesmo patamar do Sudeste, enquanto isso, o Nordeste começa a ter uma queda considerável. O Centro-Oeste acaba sem representantes nas quartas-de-final da Série D, mostrando a fragilidade de uma região que já teve um número maior de clubes nas principais divisões do Campeonato Brasileiro.

Os clubes do Sul foram os mais eficientes das oitavas, de 3 clubes classificados, 3 garantiram vaga nas quartas, um aproveitamento de 100%. Já o Sudeste caiu de 4 para 3, mas o que mais chamou atenção foi o Nordeste que de 5 representantes ficou com apenas 1, um aproveitamento de 20% apenas. A região Norte ficou também com apenas 1 representante.

Quartas-de-final – Sul aparece bem e Sudeste continua entre os maiores

Quartas-de-final – Sul aparece bem e Sudeste continua entre os maiores

Nas semifinais onde os clubes classificados garantem o acesso para a Série C, temos uma fatia um pouco diferente. As quatro regiões que tinham representantes nas quartas garantiram uma vaga nas semifinais, deixando o cenário mais equilibrado. Apesar do número maior de clubes, Nordeste e Sudeste não conseguiram impor sua dominância numérica diante das outras regiões, e acabaram classificando apenas um representante para a Série C.

Semifinais – Igualdade númerica entre as regiões

Semifinais – Igualdade númerica entre as regiões

Diferente do que acontece na Série A e Série B, os times do Sudeste não conseguem se impor na Série D, dando espaço para clubes das outras regiões. O Nordeste, por exemplo, que possui apenas um clube na Série A é o maior representante na Série D.

O que chama atenção é a regularidade dos clubes do Sul do Brasil, que estão cada vez mais chegando longe nas divisões inferiores e buscando vaga na Série A, o exemplo mais claro dessa “evolução sulista” são os clubes de Santa Catarina, que apesar da classificação ruim, conseguiriam um número representativo na Série A.

Penapolense acerta amistosos contra Londrina/PR e Botafogo/SP

O Clube Atlético Penapolense marcou seus primeiros amistosos de preparação para a disputa da Copa Paulista 2015. O time comandado por Paulinho Kobayashi enfrenta o Londrina/PR na próxima terça-feira (30), fora de casa – o time paranaense é líder do Grupo 02 da Série C.

Na sexta feira (03/07) é a vez do time ir até Ribeirão Preto enfrentar o Botafogo/SP, às 16h. A equipe da casa se prepara para a disputa da Série D e já venceu 3 amistosos nesta preparação, contra São Carlos, Lemense e XV de Piracicaba.

O time de Penápolis ainda busca jogadores para fechar o elenco para a competição que vale vaga na Copa do Brasil e na Série D em 2016.

Penapolense-SP vence o Boavista-RJ e continua vivo na Série D

Mesmo jogando fora de casa, o Penapolense-SP venceu o Boavista-RJ por 2 a 0, e continua com chances de classificação para a próxima fase na Série D do Brasileiro.

Com a vitória, o CAP voltou a ser o segundo colocado do Grupo A8 com 9 pontos, e só pode ser ultrapassado pelo Metropolitano-SC na próxima rodada. Já o Boavista-RJ praticamente deu adeus à Série D, já que ainda não venceu nenhuma partida e tem apenas 3 pontos ganhos.

Fio coloca o Penapolense na frente

O jogo começou com o Penapolense dominando a partida e criando as melhores chances, o técnico Narciso colocou o time no ataque, e viu o CAP dominar o time da casa.

Aos 18 minutos, Fio teve boa chance, mas o goleiro fez ótima defesa.

O mesmo Fio voltou a ter boa chance aos 35 minutos, o atacante recebeu de Guaru cara a cara com o goleiro e bateu no canto, sem chances, fazendo 1 a 0 para o Penapolense.

Oliveira decide e o Penapolense respira

O segundo tempo continuou com o Penapolense dominando, e o Boavista buscando uma reação. A situação do time da casa foi ainda pior quando Anderson foi expulso após falta violenta. Com um a menos, o Boavista não conseguiu reagir e ainda tomou o segundo gol.

E aos 45 minutos, Oliveira recebeu de frente para o gol e bateu forte, sem chances para o goleiro do time da casa, fazendo 2 a 0 e garantindo os 3 pontos do Penapolense.

Próximo jogo

O Boavista-RJ volta a campo no próximo domingo (14), para enfrentar o Pelotas-RS, fora de casa. Já o Penapolense está de folga na penúltima rodada, e só volta a campo no dia 21, diante do Pelotas-RS, no Tenentão, pela última rodada.

Guaru perde pênalti e Penapolense empata com Londrina

Neste sábado, o Penapolense recebeu o Londrina, buscando a segunda vitória na competição. O time da casa precisava da vitória para voltar a zona de classificação da Série D. O placar porém, não foi o que os mais de 600 pessoas que estavam presente no Tenentão esperavam, no apito final, o placar apontava 0 a 0.

Com o resultado, a equipe paranaense foi a primeira a garantir matematicamente a vaga para as oitavas de final.

Penapolense pressiona, mas para na trave

Jogando em casa, o Penapolense saiu para o ataque, o técnico Narciso mudou o esquema de jogo e apostou num trio de atacantes, com Oliveira, Fio e o estreante Léo. E as mudanças deram resultado, o time pressionou e criou várias chances, sempre parando no goleiro Vitor.

A melhor chance do jogo aconteceu aos 39 minutos, após troca de passes de Fio e Ferreira, o volante foi derrubado dentro da área. O árbitro marcou pênalti para o CAP. Na cobrança, Guaru deslocou o goleiro, mas a bola caprichosamente acertou a trave e saiu. Mantendo o 0 a 0 no placar.

Londrina volta pressionando e CAP cansa

Depois do intervalo, o CAP sentiu a chance perdida no fim do primeiro tempo e deixou o Londrina dominar o começo da segunda etapa.

O time paranaense precisava do empata para se classificar e não criava muitas chances, o time da casa por sua vez não conseguia manter o ritmo e começava a dar sinais de cansaço.

Narciso fez as 3 substituições, tirando Léo, Guaru e Rômulo e colocando Sérgio Mota, Ademir e Thiaguinho. Mesmo com o fôlego renovado, o time não conseguiu criar boas chances .

O último lance de perigo do CAP foi com Fernando, que bateu para ótima defesa de Vitor. O Londrina ainda assustou com lance de Rone Dias, que bateu por cima de Leandro Santos, mas que Heleno salvou antes da bola entrar.

Próximo jogo

As duas equipes voltam a campo no próximo final de semana, o Londrina recebe o Pelotas, no estádio do Café, às 16, no sábado. Uma hora antes, o Penapolense vai até Saquarema, enfrentar o Boavista.

Metropolitano vence o Penapolense por 2 a 0

Jogando fora de casa, o Penapolense foi derrotado pelo Metropolitano por 2 a 0, em Blumenau-SC, pela primeira rodada do returno do Brasileirão – Série D. Jogando pelo empate, a equipe do técnico Narciso se fechou e esperava criar chances em contra-ataques. Essa estratégia funcionou até os 20 minutos do segundo tempo, quando o time de Santa Catarina abriu o placar. Com a vitória, o Metropolitano subiu para 2º, com 7 pontos, deixando o Penapolense em terceiro com 5 pontos.

1º tempo equilibrado e nada de gols

O jogo começou com as duas equipes buscando o resultado, o Metropolitano comandava a maioria das ações e contava com o apoio da torcida, por outro lado, o CAP buscava os contra-ataques para tentar definir a partida. E o CAP criou as melhores chances, aos 24 minutos, Fernando quase abriu o placar, depois foi a vez de Fio obrigar Dida a fazer ótima defesa. Do lado do Metrô, as melhores chances foram com Alessandro e Lauro César, que acabaram desperdiçando as chances.

Metropolitano aproveita vacilo e vence o Penapolense

Na segunda etapa, o Metropolitano voltou decidido a vencer e o CAP a segurar o empate, o resultado desse comportamento apareceu logo aos 5 minutos. Depois de boa defesa de Leandro Santos, a bola tocou na mão de Odair, o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Tozin acabou chutando para fora a chance de abrir o placar para o time da casa.

Depois do pênalti desperdiçado, o Penapolense se fechou ainda mais, enquanto o Metropolitano dominava a partida, e o gol saiu aos 20 minutos, depois de boa jogada de Marcelo Cordeiro, que tocou para Lauro César sozinho, abrir o placar para o time da casa.

Aos 27 minutos, o Metropolitano chegou a fazer 2 a 0, mas o gol de Leandro Neto foi anulado, por conta da falta no zagueiro Odair. Mas um minuto depois, veio o castigo, depois de boa jogada de Lauro César, Alessandro tocou para o fundo das redes do goleiro Leandro Santos, fazendo 2 a 0 e acabando com a esperança do Penapolense.

Próxima rodada

No próximo final de semana, o CAP recebe o Londrina, no sábado, às 15h. Já o Metropolitano vai até Pelotas-RS enfrentar o time da casa, também no sábado, às 15h30.