Penapolense perde para o Juventus em casa e dá adeus ao sonho da semifinal

Jogando nesta quarta-feira, o Penapolense recebeu o Juventus e acabou derrotado por 1 a 0. Foi o quinto jogo sem vitória do time de Penápolis, além disso, foi a terceira derrota em casa.

Com a derrota, o time de Penápolis ficou com 19 pontos, na nona colocação. Já o Juventus chegou aos 13 pontos e se livrou da chance de rebaixamento.

CAP pressiona, mas cria poucas chances

Jogando em casa e ainda sonhando com a vaga na semifinal, o Penapolense começou a partida pressionando o Juventus, mas esbarrou na zaga bem postada.

Já o Moleque Travesso buscava as chances de gol nos contra-ataques, mas não conseguia criar nenhuma jogada de perigo.

Nesse cenário, os dois times não conseguiram tirar o zero do placar na primeira etapa.

CAP tenta, Juventus marca

No segundo tempo, o CAP voltou ainda mais disposto a vencer e foi para cima com todos seus esforços.  Foi aí que começou a aparecer o goleiro André Dias, com ótimas defesas, segurando no CAP nas vezes que o time da casa chegava com perigo.

Aproveitando o contra-ataque, o Juventus conseguiu marcar o gol aos 44 minutos, depois de cruzamento de Léo Cunha que Dener apareceu de cabeça para garantir o gol da vitória.

Próximo jogo

O Penapolense volta a campo no próximo sábado pela última rodada da Série A2 do Paulistão diante do Batatais, fora de casa, às 15 horas.

 

Anúncios

Em casa, Penapolense perde para o Palmeiras por 2 a 0

Jogando em casa, o Penapolense buscava a primeira vitória no Paulistão, pela frente, um Palmeiras embalado e que queria se firmar na liderança do grupo. E mesmo estando no Tenentão, quem ditou o ritmo do jogo foi o Palmeiras, já o CAP jogava fechado e mal conseguia passar da linha do meio campo.

Nesse cenário, o Palmeiras usou o jogo para dar entrosamento ao time e teve pequenos momentos em que Fernando Prass foi acionado.

E brilhou a estrela do argentino Cristaldo, que já havia caído nas graças da torcida em 2014 e vem se firmando como principal atacante do Verdão em 2015.

Palmeiras domina e sai na frente

Num Tenentão lotado, o Palmeiras não se intimidou e foi pra cima do Penapolense desde o primeiro minuto. Com apenas um volante (Gabriel), o Palmeiras atacava e o primeiro gol seria questão de tempo.

Aos 14 minutos, o Palmeiras abriu o placar, com Dudu – mas o lance foi anulado pelo árbitro já que Cristaldo impedido, desviou a bola antes dela entrar no gol de Leandro Santos.

Mas Cristaldo se redimiu aos 45 minutos, depois de um vacilo do zagueiro Gualberto e do goleiro Leandro Santos, o argentino acreditou e mesmo caído, tocou na bola, que bateu na trave antes de entrar. 1 a 0 para o Verdão.

Dudu perde pênalti, mas Cristaldo brilha de novo

O segundo tempo começou com o Palmeiras pressionando o CAP. Aos 6 minutos, Allione sofreu pênalti e Dudu bateu no travessão a chance de fazer 2 a 0 para o Verdão.

Com o pênalti perdido, o Penapolense começou a buscar o empate e teve a chance mais clara com Diego Rosa, que ganhou da zaga na corrida e de frente com Fernando Prass tentou tocar para trás e perdeu a melhor chance.

E o Penapolense foi castigado logo depois, aos 34 minutos, Cristaldo recebeu e bateu forte, o goleiro Leandro Santos tentou defender, mas acabou vendo a bola morrer no fundo da rede.

Depois do segundo gol, o Penapolense sentiu o “baque” e por pouco não tomou mais gols, o Palmeiras se mostrou satisfeito com o resultado e tocou a bola até o apito final.

Classificação e Próximo Jogo

Com a vitória, o Palmeiras é líder do Grupo 3 com 12 pontos. Já o CAP continua na lanterna do Grupo 4, com apenas 2 pontos e ainda sem vencer.

Na próxima rodada, o Palmeiras recebe o Capivariano, no sábado, às 18h30, já o Penapolense vai até Marília, enfrentar o time da casa, no sábado, às 21h.

Com poucas chances, Penapolense empata com o Ituano

Penapolense e Ituano tiveram poucas chances e não saíram do 0 a 0.  (Foto: Miguel Schincariol/ Ituano FC)

Penapolense e Ituano tiveram poucas chances e não saíram do 0 a 0. (Foto: Miguel Schincariol/ Ituano FC)

Jogando em casa, o Penapolense bem que tentou mas ficou no empate em 0 a 0 com o Ituano. O time da casa buscou o jogo desde o primeiro minuto, mas sofreu com a falta de inspiração de seus armadores e não conseguiu furar a retranca do time de Itu.

No primeiro tempo foram poucas chances criadas pelos dois times. Na segunda etapa, o Ituano chegou com mais perigo, mas esbarrou em boa atuação do goleiro do Penapolense.

Primeiro tempo sem chances claras

No começo da partida, Penapolense e Ituano deixaram claro suas estratégias para a partida, enquanto o time visitante se fechava e apostava nos contra-ataques, o mandante tinha o controle da bola, mas criava poucas chances de gol.

A única chance clara, foi do Ituano, depois de um cruzamento de Clayson, Mizael subiu de cabeça e a bola passou perto do gol de Leandro Santos.

Ainda no primeiro tempo, Narciso trocou Rafael Costa por Roni, buscando uma melhor movimentação do meio campo do Penapolense.

Chances melhores, mas 0 a 0 se mantém

No segundo tempo, as duas equipes voltaram dispostas a mexer no placar, o Penapolense chegou logo, com um chute de Roni, que levou perigo ao gol do Ituano.

Mas quem melhorou foi o Ituano, que chegou perto em chute de Clayson que passou raspando a trave de Leandro Santos.

Depois foi a vez do CAP chegar de novo, Arnaldo fez boa jogada, passou por 3 marcadores, mas bateu mal.

Aos 16 minutos, uma bola batida de fora da área por Jackson Caucaia quase abriu o placar, Leandro Santos apareceu bem e fez ótima defesa.

Aos 44 minutos, Djavan cruzou para Ronaldo que perdeu gol dentro da grande área. Um minuto depois, foi a vez de Dick puxar contra-ataque e bater forte para mais uma boa defesa do Leandro Santos.

Próximo jogo

O Penapolense continua sem vencer depois de três rodadas – são dois empates e uma derrota – o time manteve a 3ª posição do Grupo 4. Já o Ituano segue na lanterna do Grupo 1, com 4 pontos.

O CAP volta a campo na próxima terça-feira, em casa, diante do São Bernardo, às 19h30. Já o Ituano vai até Piracicaba, enfrentar o XV, na quinta-feira, às 19h30.

Penapolense fará 4 amistosos até a estréia no Paulistão

O Penapolense se reapresentou ao técnico Narciso dos Santos na última segunda feira e fará mais 4 amistosos para enfrentar o São Paulo, na estreia do Paulistão em 2015.

O time que já realizou dois amistosos contra o Mirassol (vitória por 1 a 0 e empate por 1 a 1), ainda vai enfrentar o Tupã, a Ferroviária e o Maringá (duas vezes).

A primeira partida deste ano, será dia 10 de janeiro às 17 horas, diante do Maringá, no estádio Willie Davids.

Uma semana depois (17) é a vez de receber a visita do Tupã, também às 17 horas, no Tenentão.

No dia 21 é a vez de ir até Araraquara, na Arena Fonte Luminosa enfrentar a Ferroviária, às 20h00.

E o último jogo da preparação será dia 24/01, no Tenentão, diante do Maringá, às 17h00.

No dia 1º de fevereiro, é a vez de receber o São Paulo, na estreia do Paulistão 2015.

[Crônica]: A primeira vez

Depois de quase um mês de muita tempestade, aproveitei a companhia da minha mãe no último sábado, e resolvi levá-la pela primeira vez em mais de 50 anos ao estádio. O jogo escolhido foi Palmeiras e Joinville. Não era o mais animado e muito menos o que prometia ser o mais emocionante, mas o estádio é um lugar que me acalma e queria que minha mãe também sentisse essa calma pela primeira vez.

Um dia antes, já havia levado ela e meu irmão ao Museu do Futebol, um dos lugares mais bacana de SP (na minha modesta opinião). A visita foi legal e deu pra mostrar um pouquinho do que é o futebol para alguém que não é tão viciado/apaixonado por esse esporte como eu.

Depois da visita ao museu, foi a hora de comprar o ingresso do jogo, uma verdadeira via-sacra, já que nem os próprios seguranças do estádio sabiam dizer onde estavam sendo vendidos. O resultado dessa “pequena” falta de informação foi uma volta completa ao redor do Pacaembu, até achar uma bilheteria aberta.

Com os ingressos comprados, era só esperar o sábado chegar. E o grande dia chegou com uma pequena parada antes de ir para o Pacaembu, ir até a Barra Funda levar meu irmão para pegar o “buzu”.

Depois só mais um táxi e estávamos na Praça Charles Miller, onde todo aquele clima de jogo já tomava conta do local. Resolvi pegar a arquibancada verde, para ficar bem perto da parte mais animada no estádio e minha mãe parecia mais admirada a cada passo que dava.

Entramos bem antes, ficamos quase meia hora esperando o jogo começar, e a cada minuto o estádio parecia mais cheio, e minha mãe já estava se sentido em casa e tentava adivinhar o número de pessoas que estavam ali.

O jogo começou e o “desespero” que já havia presenciado nos jogos assistidos pela TV ficou ainda mais evidente ao vivo. Os xingamentos (acho que aprendi com ela) também faziam parte, eram na proporção de 11 em 10 palavras ditas por ela. Para coroar o dia veio o primeiro gol, de Leandro, exatamente no gol “perto” da gente, e deu pra ela ver praticamente atrás do gol. E ao que parece, ela gostou e comemorou bastante.

No segundo tempo, a expulsão do mesmo Leandro a fez xingar bastante, muito mais do que muito palmeirense que estava por perto, e de longe ela parecia ser a mais animada torcedora das redondezas.

Na hora do segundo gol (de Juninho), apesar de ter sido no gol do tobogã e mais longe, fui obrigado a ouvir: “eu sou pé quente, tenho que vir sempre”; eu rindo respondi que também só tinha presenciado vitórias estando ali. Mas na hora do 3º gol, tive que dar o braço a torcer, realmente a “velha” tinha dado uma baita sorte para o Verdão.

Na saída do estádio, o nosso sorriso era visível, e um programa onde normalmente os pais levam os filhos foi invertido, um filho levou a mãe, e o melhor de tudo, ela gostou. Ver o sorriso da minha velha depois de tanto tempo “triste” valeu muito mais que os 3 pontos do jogo e com certeza, vai valer muito mais que o título da Série B que está chegando.

Esse sábado vai ficar marcado, não por ter sido uma vitória – em cima do Joinville – mas por ser a primeira vez que levei a minha mãe ao estádio. E já ficou a promessa, se tudo correr bem, iremos no Tenentão na primeira oportunidade, para ver nosso CAP, seja contra quem for, mas esse programa, vai ser com a família toda: pai, mãe e irmão, porque são momentos como esse que fazem o futebol ser tão apaixonante, pelo menos pra mim.

Na estreia de Pintado, Penapolense é derrotado pelo São Paulo

Neste domingo, o Penapolense acabou derrotado pelo São Paulo por 2 a 0, com gols de Rhodolfo e Ademilson, pela 10ª rodada do Paulistão, chegando ao 4º jogo sem vencer.

O jogo foi o primeiro de um dos “quatro grandes de São Paulo” na cidade de Penápolis. Foram mais de 10 mil pessoas dentro do “Tenentão” apoiando a equipe da cidade.

O jogo começou com o São Paulo com maior domínio da bola, e o resultado foi um gol “achado” logo aos 3 minutos de jogo, depois de cobrança de falta, a bola sobrou dentro da pequena área para o zagueiro Rhodolfo, que só teve o trabalho de empurrar para o gol.

Depois do gol, o Penapolense saiu para o ataque e pressionou o São Paulo, criando diversas chances de gol, porém, quando conseguia concluir para na boa atuação do goleiro Dênis.

No segundo tempo, o CAP continuou a pressionar e o São Paulo buscava o contra-ataque. E em um desses contra-ataques, Ademilson chutou de longe e contou com a ajuda do goleiro Roni para fazer 2 a 0 para o time da capital. Depois de sofrer o gol, o Penapolense ainda tentou diminuir a vantagem, mas não conseguia concluir a gol.

Mesmo com a derrota, o time se mantém na 9ª colocação, 2 pontos atrás do Corinthians, que é o 8º colocado. O próximo jogo será sábado, às 18h30, no Tenentão, contra o Paulista – que é o 10º colocado.

“Tá Liberado”: Federação Paulista libera o Tenentão para o Paulistão 2013

Nesta terça feira, a Federação Paulista de Futebol  confirmou a liberação do Estádio Municipal Tenente Carriço – o Tenentão – para ser a “casa” do Clube Atlético Penapolense no Paulistão 2013.

A confirmação foi feita pelo presidente da instituição, Marco Polo Del Nero, e pelo responsável pela arbitragem e vistoria dos estádios, Coronel Marinho.

Na vistoria ocorrida na última segunda feira, o laudo totalizava 14 mil lugares, faltando ainda 1 mil lugares para a liberação do estádio. Para conseguir a liberação do estádio que recebe o primeiro jogo no dia 19 de janeiro, contra o Ituano, a diretoria do Penapolense deu garantia de que parte das arquibancadas de alvenaria que estão sendo construídas ficariam prontas até o primeiro jogo, totalizando os 15 mil lugares necessários para receber jogos da elite paulista.

Outras garantias para a liberação do Tenentão foram: os dois novos vestiários prontos até o começo do Paulistão, a troca dos alambrados e a pintura.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do Clube Atlético Penapolense)