Purity/Cesumar 1×3 Uniamérica/Foz do Iguaçu

Não foi a despedida que o torcedor maringaense esperava. Um time apático, cometendo erros primários, e um time de Foz jogando bem desde o começo. Esse foi o cenário visto por quem foi até o ginásio Chico Netto acompanhar o último jogo da Superliga deste ano.

Um time que nenhum torcedor no ginásio conseguiu entender, o time foi crescer apenas no 3º set, e mesmo assim, foi na base da superação. No 4º set, o time mostrou o desinteresse no jogo. Quando uma bola no fundo de quadra, com dois jogadores acompanhando e uma aposta no famoso “golpe de vista”. O resultado foi a “derrubada” do time no final do set e a vitória da equipe de Foz.

O primeiro set foi um set para ser esquecido, o time errou ataques bobos, queimou várias bolas de fundo, e tocou muitas vezes na rede, fazendo o time de Foz abrir uma boa vantagem no placar, que foi fechado em 25×19.

No segundo set novamente o time não se encontrou em quadra e mostrou novamente erros que não foram cometidos em nenhum outro jogo desta Superliga e o placar foi 25×21 novamente para a equipe de Foz.

O terceiro set foi bem disputado com o time maringaense abrindo vantagem apenas no final do set, e mesmo com um voleibol fraco e sem muito esforço, o time venceu o set e evitou uma derrota por 3×0 para a equipe de Foz que já estava rebaixada. No final do set o placar apontava 25×23 para a equipe do Purity/Cesumar.

O quarto set foi o reflexo de todo o jogo, um time sem muito esforço, mas que mesmo assim chegou a abrir 24×21 e acabou levando a virada depois de um “golpe de vista” que deu moral para a equipe do Uniamérica buscar o set e fechar em 27×25. Fazendo 3×1 no jogo.

Apesar da derrota, a equipe do Purity/Cesumar ficou com 36 pontos, na 13ª posição, uma posição acima da zona de rebaixamento, e a equipe de Foz mesmo com a vitória ficou na última posição com 34 pontos.

Apesar da desastrosa despedida, o saldo deste ano na Superliga foi positivo, afinal foram 8 vitórias e muitos jogos bons contra equipes maiores. Vale lembrar também que as duas derrotas pra Foz valeram a classificação para a segunda fase, já que o time chegaria a 38 pontos e teria um saldo de set melhor que do Universo/Uptime, equipe que ficou na 8ª posição.

Fica a sensação de dever cumprido, mas a despedida deixou uma má impressão de um time que foi aguerrido durante toda a competição mas que não teve uma despedida digna dos jogos que realizou durante a Superliga.

por Zuba Ortiz

Purity/Cesumar 2×3 Universo/Uptime

Depois de uma série de jogos fora de casa, o time maringaense do Purity/Cesumar voltou a jogar em casa diante do Universo/Uptime, e o time mostrou o poder de reação que todos os torcedores já estão acostumados, mas mostrou também que continua sofrendo da síndrome do tié-break, e dessa vez o time deixou o jogo escapar depois de perder o tié-break por 15×11.

No 1º set o time de Minas Gerais começou melhor e não deu chance de reação ao time da casa no decorrer do set, e acabou fechando o 1º set em 25×16.

Já o 2º set, foi marcado por um duelo ponto a ponto das equipes, com a vitória no final da equipe da casa, que desde o começo do jogo vinha sendo apoiada pela torcida que compareceu no ginásio Chico Netto.

O 3º set foi marcado por confusões aonde o jogador de número 9 da equipe do Universo/Uptime, Adriano, acabou reclamando e sendo expulso e arrumando briga com o jogador do Purity/Cesumar, Ricardo, mesmo assim a equipe visitante, venceu o 3º set por 25×23. Fazendo 2×1 no placar.

No 4º set, o time de Maringá foi superior durante todo o jogo e fechou o set até com certa facilidade, por 25×19. Dando a impressão que chegaria com moral para o tié-break, mas a história se repetiu pela 5ª vez nessa Superliga.

O time do Purity/Cesumar entrou no 5º set, perdido em quadra e deixou o time mineiro abrir 5×1 no placar, depois o time foi buscar a reação e chegou a fazer 13×11, deixando a torcida novamente animada, mas depois em dois erros “infantis” a equipe de Maringá saiu derrotada de quadra pela estréia nesse 3º torneio.

O próximo jogo da equipe será no sábado, dia 9 de fevereiro, contra o Telemig/Minas, que venceu hoje a equipe da Uniamérica/Foz do Iguaçu por 3×0 em Foz.

por Zuba Ortiz